Sendo igreja em tempos de crise

0

O Coronavírus chegou ao Brasil, e com ele chegou também a recomendação de isolamento social. Tudo indica que vai piorar, e, como consequência, precisaremos enfrentar um desafio: o de continuar sendo igreja num tempo em que não conseguiremos nos reunir com frequência.

Para enfrentar este desafio precisaremos assumir, pelo menos, quatro posturas:

1) Precisaremos ser pacientes. Primeiro, porque a experiência de países que estão passando pela pandemia a mais tempo do que o nosso mostra que ela tende a durar de 3 a 4 meses, pelo menos. E depois, porque nós nunca passamos por algo semelhante. Nós não sabemos, exatamente, como é ser igreja numa situação como essa. Isso é algo que precisaremos aprender. E, para aprender, precisaremos ser pacientes!

2) Precisaremos ser criativos. Somos uma comunidade. E não estamos ligados uns aos outros apenas por vínculos temporais. Fomos unidos pelo sangue de Cristo, e isso faz com que a comunhão nos seja uma experiência necessária. Precisaremos descobrir maneiras de cultivar a comunhão apesar das restrições que nos forem impostas. Neste ponto, graças a Deus pela tecnologia. Ela é nossa aliada e poderá encurtar muito os espaços entre nós nos próximos dias.

3) Precisaremos ser disciplinados. Num tempo em que não conseguiremos nos reunir com tanta frequência, o culto individual e o culto doméstico precisarão fazer parte de nossa rotina com maior intensidade. Precisaremos ser mais rigorosos na realização de nossa devocional pessoal e os homens precisarão ser mais ativos na condução de sua família na adoração ao Senhor. Essas coisas se tornarão ainda mais essenciais para que a chama da fé se mantenha viva em nosso coração.

4) Precisaremos ser corajosos. Haverá muita gente para ser amada e servida nos próximos dias. Gente que precisará ser orientada, assistida, transportada, consoladas; e tudo isso precisará ser realizado em um ambiente de risco.

Oremos pela situação de nossa nação, e oremos também pela igreja nesses dias. Peçamos a Deus que faça de nós pessoas mais pacientes, criativas, disciplinadas e corajosas, para que aprendamos a ser igreja em tempos de crise, e muita gente saia da crise através do nosso testemunho!

você pode gostar também Mais do autor