Seja justa como Deus é justo

0

O trecho abaixo foi retirado com permissão do livro Renovadas, de Jen Wilkin, Editora Fiel.

Qual é a vontade de Deus para a sua vida? Ouça as palavras do profeta Miqueias: “que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus” (Mq 6.8).

A vontade de Deus é que pratiquemos a justiça. Quando deixamos de apresentar autojustificativas, começamos a ter uma percepção cada vez maior das necessidades de nosso próximo. Voltamos nossos esforços para buscar justiça para os fracos e oprimidos. Deus refere-se a si mesmo como “pai dos órfãos e protetor das viúvas” (Sl 68.4-5). E, como suas filhas, devemos levar essa identidade familiar para as esferas de influência que ele nos dá. Aquelas de nós que temos alguma forma de vantagem devemos buscar usá-la em benefício do próximo. Aquelas que têm mais do que o “pão de cada dia” devem ter os olhos e as mãos abertas para aqueles que ainda esperam seu pão.

Na antiguidade, a viúva e o órfão eram os mais propensos a sofrer exploração e ser esquecidos por suas comunidades. Faltava-lhes poder social ou econômico; eles não tinham voz nem defensores. Mas, hoje em dia, assim como no passado, os explorados e os esquecidos também estão ao nosso redor. A Bíblia fala de amplidão na justiça de Deus, chamando seu povo, repetidas vezes, para buscá-la em favor dos marginalizados e ignorados. E, se perdermos isso de vista, nosso senso de justiça só se estenderá aos limites de nossas próprias casas.

Nossas comunidades e igrejas estão cheias de viúvas e órfãos, estrangeiros e indigentes dos dias modernos. Agimos com justiça quando intercedemos em seu favor, garantindo que sejam tratados como seres humanos criados à imagem de Deus. Devemos ser os primeiros a alimentar os famintos, a vestir os nus, a dar as boas-vindas ao estrangeiro e a visitar os enfermos. Devemos assegurar a justiça para os que são oprimidos, porque, quando assim agimos, assemelhamo-nos a Deus. E fazer isso pelo próximo é como fazer pelo próprio Cristo (Mt 25.35-40).

O bom governo de Deus assegura que a justiça enfim prevalecerá em todas as coisas. Ele não responde a um governo mais alto, e não sofre corrupção alguma. Até o dia em que todas as contas serão acertadas, nós labutamos como suas servas, vivendo em obediência e procurando justiça para aqueles que não a têm. Qual é a vontade de Deus para sua vida? Que você seja justa como ele é justo, deleitando-se em sua lei, exaltando seu bom governo e diariamente fazendo justiça como filhas do Pai Celestial.

Versículos para meditação

Deuteronômio 10.17-19

Deuteronômio 32.3-4

Salmos 9.7-8

Salmos 37.27-29

Salmos 82.1-4

Salmos 89.14

Lucas 11.42

você pode gostar também Mais do autor