Qual é a sua verdadeira identidade?

Artigos

0

Vivemos hoje numa sociedade altamente conectada em que tudo é rápido, dinâmico, criativo, diversificado e, ao mesmo tempo, decisivo. De algum modo, essas transformações trouxeram grandes alterações nos padrões econômicos, sociais, culturais e até mesmo perdas de muitos princípios e valores humanos em nossa sociedade. Fazemos parte de uma geração de conexões virtuais que tem se tornado cada vez mais um forte modo de influência digital mundial e, ao mesmo tempo, controversos modelos de referências de identidade, atingindo de maneira direta e indireta, ora positiva, ora negativamente, na formação da identidade de uma pessoa. Cada vez mais temos sido intensamente persuadidos pelas personalidades expostas na web. A plataforma de “youtubers” tem ganhado grande espaço na mídia e influenciado na formação da identidade de milhares de pessoas no mundo.

No interesse de se apoiar em alguma referência, receber direções, se tornar alguém e transformar o mundo, traçamos objetivos a fim de conquistar e impor nossa própria identidade. Pensando nisso, corremos em busca de informações e nos deparamos com diversas opiniões que acabam se tornando referências virtuais em nossa vida. Desse modo, muitas pessoas têm sido levadas a assumirem uma identidade apenas semelhante ao ponto de referência virtual. Mas a verdade em questão é: em meio a uma geração em que os relacionamentos e as referências têm se tornado superficiais e virtuais, como podemos cultivar uma identidade original, sadia, forte e ao mesmo tempo à luz da vontade do Pai celestial?

Em João 7.28,29 diz que, “enquanto ensinava no pátio do templo, Jesus exclamou: “Sim, vocês me conhecem e sabem de onde sou. Eu não estou aqui por mim mesmo, mas Aquele que me enviou é verdadeiro. Vocês não O conhecem, mas Eu O conheço porque venho da parte Dele, e Ele me enviou.” Nessa passagem bíblica podemos ver claramente Jesus afirmando a Sua origem – de onde Ele veio – e, ao mesmo tempo, assumindo Sua verdadeira identidade a partir de um modelo e de uma referência de caráter para Ele, Deus Pai, o nosso Criador! A convivência diária e o Seu relacionamento profundo com o Pai revelou a Jesus Sua origem, fundamentos e valores espirituais. Dessa forma, o relacionamento cultivado entre o Filho e o Pai contribuiu para firmar o destino, a missão e o propósito, mas principalmente para estabelecer a formação da Sua verdadeira identidade de Reino. Jesus desejava ser como o Pai, estar no Pai e fazer todas as coisas de acordo com a vontade do Seu Pai, e tudo isso apontava para um caminho de maturidade, confiança e consequentemente de agradar o coração do Pai e Se tornar um porta voz Dele nesta terra.

A melhor referência que podemos ter

“Certa vez Jesus perguntou aos discípulos: quem o povo diz que o Filho do Homem é? Eles responderam: alguns dizem que o Senhor é João Batista; outros, que é Elias; e outros, que é Jeremias ou algum outro profeta. E nesse momento Jesus perguntou: e vocês? Quem vocês dizem que Eu sou? E Simão Pedro respondeu: o Senhor é o Messias, o Filho do Deus vivo. Jesus afirmou: Simão, filho de João, você é feliz porque esta verdade não foi revelada a você por nenhum ser humano, mas veio diretamente do meu Pai, que está no céu” (Mateus 16.13-17). Diante das palavras do discípulo, Jesus constatou que aquela revelação estava claramente sendo a resposta verdadeira acerca da Sua própria identidade no Reino, vinda não apenas de uma conclusão de homens, mas uma definição do céu. Nesse mesmo diálogo de revelação de identidade, por meio do Espírito de Deus, Jesus também declarou para Pedro sobre sua origem e seu papel no Reino: “Portanto, Eu lhe digo: você é Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e nem a morte poderá vencê-la. Eu lhe darei as chaves do Reino do Céu; o que você proibir na terra será proibido no céu, e o que permitir na terra será permitido no céu” (Mateus 16.18,19).

Quando descobrimos a nossa identidade em Cristo, recebemos chaves para transformar pessoas e nações. O desejo do coração do Pai é revelar a identidade original de cada um de Seus filhos no Reino. A partir de um relacionamento íntimo e de total proximidade com Deus, recebemos a correta revelação acerca da nossa verdadeira identidade em Cristo, Aquele que morreu para que tivéssemos direito de sermos reconhecidos como filhos de Deus. Assim como Jesus revelou a identidade de Pedro, o Pai deseja nos favorecer como filhos, revelar quem Ele é e tão logo quem somos. Seu anseio é renovar nossa mente, trazer à nossa memória o quanto somos feitos à Sua imagem e semelhança. E desse modo imprimir, estabelecer, fundamentar valores e princípios verdadeiros e fiéis à Sua essência em nós. Em contrapartida, por meio de Jesus, o Pai deseja confiar a nós a herança de reinar em vida, nos dando chaves específicas para fazer a diferença neste mundo.

você pode gostar também Mais do autor