Organização do lar e amor a Deus

0

Nestes tempos em que estamos dentro de casa o tempo todo, muitas piadas sobre o relacionamento entre marido/esposa e mães/filhos tem sido feitas. Não creio que são piadas infundadas, muitas situações são reais e acontecem na sua e na minha casa. Damos risada das postagens, pois elas são absurdamente verdadeiras e muitas vezes, no fundo, queríamos ter coragem de postar aquilo também.

É notório que um assunto bem em voga é a organização das tarefas do lar neste tempo de pandemia. O que fazer e como fazer, quando você tem uma tropa desfazendo suas realizações ao longo do dia? Como podemos conciliar nossos papéis (esposa, mãe, filha, serva, trabalhadora) de forma sábia? Como isto pode ser refletido na organização do nosso lar, no amor ao próximo e a Deus?

Não tenho a intenção apenas de dar dicas de organização e limpeza. Isto pode ser visto em milhões de sites e tutoriais no YouTube. Gostaria de tratar sobre como a organização do lar nos ajuda e reflete nosso amor por aqueles que são cuidados por nós. E em última análise, reflete nosso amor por Deus.

É preciso estabelecer as nossas prioridades

Seguindo o exemplo que vemos em Mateus 22:37-39 e Efésios 5:18 a 6:9, nossas prioridades devem seguir esta ordem:

Deus

Marido

Filhos

Casa

Igreja

Carreira

Comunidade

Não podemos inverter nenhum item desta lista nem medir o sucesso destas relações pela quantidade de tempo gasto com estas pessoas/coisas no nosso dia a dia.

Posso dizer que gasto 80% do meu tempo entre casa e filhos. Mas isto não quer dizer que eles estão no topo da minha lista. Eles não podem ir para o topo! A maneira com a qual eu trato meu marido e meus filhos, cuido deles e os amo, tem a ver com meu relacionamento com Deus, que está em primeiro lugar.

Colossenses 3:23 “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens.”

Muita bagunça se instala em nossos corações quando estas prioridades são trocadas. Quando amamos mais o nosso cônjuge do que a Deus, vem o ciúme excessivo, possessivo (onde ele está? com quem conversa? quais as mensagens no telefone?). Isto é pecado, também conhecido por idolatria.

Assim também acontece com nossa casa. Para algumas, manter a casa arrumada fica acima de cuidar da alegria e prazer do marido e dos filhos. Ter a casa que parece capa de revista é mais almejada do que vida com Deus, do que ter intimidade com o Senhor e do que servir aos outros deixando que alguma bagunça seja feita. Brinquedos tornam-se os inimigos da arrumação. A sala (geralmente) torna-se o templo maior da idolatria.

Outras vezes não são os filhos e seus brinquedos o grande problema, mas são as visitas. E isto pode ser mais enganoso ainda. Pois, abrimos nossa casa para sermos “hospitaleiras”, mas como resultado, temos reclamações e autocomiseração:

“Me esforcei e trabalhei duro o dia todo pra receber as visitas”

“Eu estou preparando a comida desde ontem”

“Poxa, olha a sujeira que ficou por onde passaram”

“Você viu como aquelas crianças são sem modos?! Sujaram minha parede”

Quem nunca passou por isto?

Ao invés da casa nos servir como abrigo e lugar de comunhão, passamos a servir nossa casa, ou seja, idolatramos o ambiente onde vivemos. Me lembro de uma vez em que minha filha ganhou um lápis grafite rosa e cheio de glitter por fora, mas por dentro era um lápis básico de escrever. Ela guardou aquele lápis por mais de 1 ano sem usá-lo. Um dia, arrumando o armário junto com ela, eis que vi o lápis e pedi que ela colocasse na mochila, pra usar na escola. Com pressa ela me disse que não queria usar o lápis, pois ele era lindo e não queria gastá-lo. Então eu lhe disse que o lápis deveria ter ficado na loja, assim era certeza que não seria gasto, e poderíamos passar lá de tempos em tempos pra visitar o lápis, sem precisar trazê-lo pra casa. Porém agora que o lápis já estava em casa, deveria ser usado, pois foi criado pra isto, deveria servi-la na lição da escola e ser gasto no serviço.

Assim é com nossa casa, se a temos, mas não permitimos que ela seja usada para o fim que foi construída, então não nos serve, melhor seria ter deixado o terreno sem construção, assim não seria gasto em nada. Mas se temos a casa, ela tem de ser usada para nos abrigar, ser gasta no seu propósito de servir a família que está ali dentro. Algumas de nós vivem idolatrando a casa a tal ponto, que ela se parece com uma deusa que não pode ser incomodada, precisa estar limpa e organizada o tempo todo para não ser enfurecida. E então a limpeza e organização exacerbada ficam acima do bem-estar e liberdade da família, tomando conta de cada minuto e atividade desenvolvida ali dentro, tudo se volta para o ideal de ter a casa de capa de revista eternamente ali, ao seu alcance.

“Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.” 1 João 4:19-21

Cuidar da casa e tê-la limpa e arrumada é uma maneira de amar ao meu próximo, nestes tempos de isolamento o meu próximo está bem próximo mesmo, pois estamos convivendo 24 horas 7 dias por semana. Porém este cuidado com a estrutura não pode ter um fim em si mesmo, tem de ser em prol de servir aqueles que lá estão, daqueles que podem usufruir de ter as coisas em ordem para serem usadas. E se alguma desorganização vier com este uso, que seja para o bem daqueles que estão usufruindo da casa.

Sendo assim, se eu arrumo minha casa, lavo a louça, limpo o chão etc., é para o bem da minha família, e é para que eles se sintam bem em estar num ambiente com menos poeira, com menos riscos de infecções ou de intoxicações alimentares por insalubridade. Uma casa em movimento é uma casa viva, é uma casa onde nem sempre as coisas estão no lugar, mas que todos sabem o lugar das coisas e sabem que estão em seu lugar seguro.

Por mais entediante e repetitivo que pareça, o meu trabalho de dona de casa honra a Deus quando eu sirvo o meu próximo da melhor maneira que posso e amo aqueles que Deus me deu pra cuidar diariamente assim como eu me amo. Quando sou lembrada de que quem me comissionou e habilitou a trabalhar é um Deus que me ama e que trabalha sem parar, então preciso parar de olhar altiva e orgulhosamente para as obras de minhas mãos e devo buscá-lo em humildade e submissão.

A casa é de quem?

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.” Gálatas 6.9,10

Precisamos ter sempre em mente quem fica na casa. Quem mora lá? A sua casa tem de ser cuidada prioritariamente para sua família e não para a visita que pode chegar sem avisar. A visita vem e vai. A família fica. A casa é da família e não da visita! Ainda que nesta época de isolamento social não estejamos recebendo visitas, esta é uma ideia e fala recorrente na cabeça das donas de casa: “Imagina se uma visita chega aqui agora, vai pensar o quê ao ver esta sala assim?”

Normalmente o zelo extremo pela casa está ligado ao temor de homens. Nos enganamos achando que isto é servir, sendo que, na verdade isto é roubar o tempo, o aconchego e até a alegria de nossa família, substituindo por estresse e vida de aparências.

“Quem teme ao homem arma ciladas, mas o que confia no SENHOR está seguro.” Pv 29.25

E então armamos ciladas para nós mesmas, estressando e irritando marido e filhos por causa de uma organização de aparências e não uma organização necessária e sadia para o bem estar da família.

Certas expectativas que temos, nos escravizam mais do que nos fazem servir. Desejar ter tudo sempre em ordem pode ser prejudicial. Lembremo-nos do exemplo de Marta e Maria (leia Lucas 10.38-42). Eu não consigo imaginar todas as coisas que se passavam na cabeça de Marta naquele dia, pois ela sabia quem estava em sua casa, Maria também sabia, era o Messias. Marta agitava-se de um lado para outro fazendo coisas e preocupada com as tarefas do lar, seu objetivo era ser uma boa anfitriã, mas o custo disto ela queria colocar sobre Maria que escolheu ter comunhão com o convidado. Na ânsia de servir bem e de ser hospitaleira, Marta se lembrou apenas do trabalho e permitiu que isto se sobrepusesse à comunhão, ela esqueceu do convidado, ela esqueceu de estar aos pés de Jesus. Cristo não a exortou por estar fazendo as tarefas de seu lar, ele a exortou por ser isto a única coisa que ocupava seu pensamento.

Nosso trabalho no lar e na igreja tem de estar a serviço da comunhão, e não em detrimento da comunhão. Quantas vezes vemos pessoas deixando o culto, deixando de ouvir a pregação (o alimento espiritual, a boa parte) para ir preparar hot dog ou café na cozinha da igreja?! Assim também fazemos em nossos lares com louças pra lavar e outras preocupações demasiadas, ao invés de nos aproveitarmos do tempo com a família e com as visitas. Me lembro de almoçar com uma família após o culto matutino da igreja, logo após a sobremesa, me ofereci para ajudar com a louça, a dona da casa me repreendeu e disse que era para eu ir pra sala e sentar-me no sofá para conversar, pois a lavagem de louça seria mais tarde, quando fossemos embora, assim ela teria chance de se relembrar do nosso tempo juntos e reviver as conversas. Escolhamos a boa parte!

O fato de você poder se preocupar mais com os moradores do que com os visitantes, não quer dizer que a casa precisa estar de ponta cabeça quando você marca com alguém para te visitar. É respeitoso para com a visita ter uma casa em ordem. Mas também, você não precisa deixar de cabelo em pé aqueles que estão mais perto (filhos e marido) por causa da visita. Um bom planejamento de limpeza e organização é necessário.

É para nossa família que devemos trabalhar em prol de ter cada coisa em seu lugar, com isto não quero dizer que tudo tem de estar 100% arrumado sempre (isto é impossível!). Mas cada coisa precisa ter um lugar certo. Brinquedos podem estar no chão da sala, mas quando eles precisam ser guardados, precisam ter uma caixa ou outro lugar específico para que a criança saiba onde colocá-los. E assim deve ser com os outros objetos e utensílios em nossos lares.

Eu, particularmente, gosto de organizar e arrumar as coisas. Isto não quer dizer que minha casa esteja sempre arrumada, porém eu funciono melhor se a casa está mais organizada e se consigo encontrar o que procuro. Preciso de um mínimo de organização na cozinha pra poder começar a cozinhar, por exemplo. Percebo também que as crianças brincam melhor quando os brinquedos estão separados por tipos: Blocos, Carros, Quebra-Cabeças, Bonecas, etc. É muito mais fácil pegar a caixa com blocos e se propor a montar algo sabendo que todas as peças estão ali dentro, ao invés de sair como uma caça ao tesouro revirando todas as caixas de brinquedos e cantos da casa a procurar o que deseja. Isto ajuda na hora de guardar também, pois cada brinquedo tem seu lugar, até os mais novos conseguem entender o funcionamento disto.

É muito importante conversar com seu marido sobre como vocês podem juntos tornar o lar mais aconchegante para os que lá moram e para quem vem visitar. É importante que ele saiba o quanto você pode realizar de uma vez e quantas vezes receber pessoas por mês. Isto é necessário para a informação dele, pois muitas vezes o marido não se envolve no preparo de comida e a arrumação da casa, portanto não sabe o quão trabalhoso é receber, podendo achar que vocês podem receber visitas várias vezes por semana. Por outro lado, homens são mais práticos e nos ajudam a resolver “problemões” de forma simples e rápida. Esta conversa sincera e amorosa pode evitar frustrações, ira e desgastes.

Porém, lembre-se de que servir e receber dá trabalho. E trabalho é tempo investido, é gastar-se em prol do outro. Se assim não o fosse, não chamaria trabalho, chamaria Lazer!

Filhos não atrapalham, ajudam

Filhos são ferramentas que Deus usa para nos lapidar e nos ajudar a crescer em amor e sabedoria.

Em Provérbios vemos a repetição: “Filho meu, ouve o ensino de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe” em várias formas diferentes começando no capítulo 1 até o final do livro. Isto deve nos estimular a ensinar nossas crianças a obedecerem, servirem e amarem os seus pais. Devemos repetir estes versos a eles sempre que necessário e ensiná-los o 5º mandamento e tudo quanto decorre dele. Isto vai ajudá-los a crescer em amor e serviço também.

Nossos filhos podem ajudar (e muito!) na organização do lar. Desde pequeninos devemos lhes dar tarefas para que possam aprender e desenvolver habilidades nos deveres da casa. Mesmo que não façam com perfeição, devemos continuar a estimulá-los a fazer, pois é com a prática que se aprende. Já ouvi várias vezes de uma certa criança que ela não lava a louça tão bem ou tão rápido quanto eu, então preciso dizer-lhe que quando eu tinha a idade dela eu também não lavava tão rápido quanto minha mãe, mas a prática me fez ficar mais veloz.

Cada um pode ter tarefas designadas de acordo com a idade, existem até tabelas na internet que podem te ajudar com isto, ou você mesma pode determinar o que cada criança tem condições de fazer. Eles podem aprender onde guardar objetos, roupas e principalmente os próprios brinquedos, é aqui que as caixas designadas facilitam bastante.

Os filhos são nossa herança (Salmo 127.3, 128.3). Herança só é útil quando é bem empregada. Se não for, pode ser desperdiçada e acabar sem nos servir. Não há nada de errado em ensinarmos nossos filhos a servirem. Há pais que reclamam que seus filhos crescidos não os ajudam em casa, mas muitos destes mesmos pais poucas vezes pediram que seus filhos quando crianças lhes ajudassem. É fato que, via de regra, os adultos fazem as coisas com mais rapidez e primazia do que as crianças, mas quando não deixamos que eles façam só porque vai demorar mais, isto lhes faz mal e não bem, pois eles deixam de ser treinados. Poupá-los de servir pode torná-los tolos e egoístas. Mesmo que se tenha alguém que faça os serviços da casa, é preciso ensiná-los. Um dia vão crescer e terão que fazer e ensinar seus pequenos a servirem também.

Fazendo isto contribuímos para forjar em nossas filhas o desejo de serem esposas que se dedicam e se alegram em cuidar do lar (Prov 31.10-31). E em nossos filhos o apreço e a importância pela vida comum do lar, como podemos ver em 1 Pedro 3.7:

“Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações.”

Dicas Práticas

O que é mais importante primeiro

Por mais que você esteja querendo aproveitar este tempo em casa para fazer coisas que nunca consegue fazer em dias normais, não acho prudente você querer limpar cada centímetro da casa ou mudar tudo de lugar, tendo ela cheia, com todos da família o tempo todo dentro dela. Isto vai lhe trazer um stress sem fim, pois é provável que muita coisa fique incompleta e todos fiquem extremamente irritados com a constante limpeza e pouca comunhão.

  • Defina o que é mais importante a ser feito
  • Tempo com Deus e comunhão com os seus filhos e marido é extremamente importante
  • Comida pronta, roupa limpa (não necessariamente passada)
  • Use descartáveis
  • Tenham momentos de diversão juntos, leiam, joguem, contem histórias

As Diferentes Fases da Vida

  • Considere a sua fase de vida (filhos pequenos, trabalho, doenças) e trace metas possíveis. Alguns projetos não são possíveis quando se tem bebês em casa, ou quando você precisa prestar auxílio a um pai doente que demanda muito cuidado. Seja paciente com você mesma e peça a Deus sabedoria para entender o que é realmente necessário ser feito e o que pode ser postergado.

Faça listas

  • Para compras no mercado, assim nada é esquecido e tempo não é perdido.
  • Para limpeza da casa. Você pode ter uma lista de tarefas diárias, semanais e mensais para você e para os filhos.
  • Programe as refeições. Ter um cardápio pronto antes de fazer compras ajuda no planejamento das compras.

Calendário Visível

  • Ajuda na organização de tarefas, viagens, entrega de trabalhos escolares etc. Nossa memória é falha. O calendário ajuda as crianças a saber o que fazer e a ter reponsabilidade com as suas atividades.
  • Calendário individual no quarto, para melhor divisão de compromissos.

Marque data e Limite o tempo

  • Limite o tempo para limpeza, assim você não se perde em infinitas coisas extras que surgem no meio do caminho. Anote os extras para fazer em outra oportunidade.
  • Marque data para mudar os móveis de lugar, por exemplo.

Coma um elefante (Elizabeth George)

  • Método dos 30 cm: por exemplo, limpe todo o armário da cozinha, mas programe-se para fazer 30 cm por dia, se der faça mais.
  • Para executar um projeto grande, faça um pedacinho por vez.
  • Não tente organizar todos os guarda-roupas da casa em um só dia.

Não seja acumuladora

  • Guarde coisas “superimportantes” (#sóquenão) por no máximo 6 meses. Se você não usou, não lembrou daquilo em 6 meses, é muito provável que você não se lembrará daquele objeto nos próximos meses e não precisa do que foi guardado.
  • Roupas podem entrar na regra dos 12 meses, não usou em 12 meses, doe, ou compre 1 e tire 1.
  • Gaveta da bagunça: em casa temos uma gaveta que meu marido chama de buraco negro, é uma gaveta que tem de tudo um pouco (chaves, canetas, papel de rascunho, cardápios de delivery, feltro para cadeiras, etc). É desorganizada, mas é limitada apenas a aquela gaveta. Limite seu espaço de bagunça.
  • Trabalhos, apostilas e cadernos escolares: Guarde o que é estritamente significante. Muitas vezes as crianças voltam da escola com uma pasta cheia de lindas atividades escolares, porém é impossível guardarmos tudo desde a tenra infância até a formatura do Ensino Médio. Eu tenho separado as primeiras letrinhas e palavrinhas escritas, os desenhos com a família e desenhos bem diferentes e significativos de cada ano. Desapego é um treino dolorido para o meu coração, mas seu eu for guardar tudo, chegarei ao ponto de ter que tirar as pessoas da casa para guardar as coisas, invertendo o propósito do lar.
  • Doe coisas, é benção pra você e para quem recebe.

Multitarefas

  • Ouça sermões e estudos bíblicos enquanto trabalha. Eu sinto que o tempo passa com mais leveza e que meu trabalho flui sem tanta dureza.
  • Tenha seus filhos fazendo tarefas na cozinha enquanto você faz comida ou lava louça, assim eles aprendem ao ver você fazendo e você pode ter conversas e comunhão com eles.

Não deixe para depois

  • Procrastinação pode gerar mais bagunça. Ex: pilha de papéis crescem a cada minuto que são deixadas pra depois.
  • Nenhuma tarefa desagradável se torna menos desagradável se for feita no dia seguinte, faça hoje.
  • Deixar um objeto perto do armário ou perto do lugar certo não é guardar o objeto. Às vezes nos custa apenas 30 segundos extras para colocar algo no lugar certo.
  • Faça certo da primeira vez para não precisar repetir a tarefa.

No fim do dia

Enquanto o mundo constantemente denigre a mulher que quer cuidar do seu lar e não reconhece o devido valor que este trabalho tem, a Escritura nos encoraja a ser a sábia mulher que constrói sua casa. (Pv 14:1 “A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba.”) Parte de construir a casa é saber organizar, planejar e servir aqueles que nela estão. (Pv 24:3 “Com a sabedoria edifica-se a casa, e com a inteligência ela se firma.”)

Pode ser que nada planejado dê certo. Ainda que acordemos cedo, façamos listas e programemos nossos horários, pode ser que nos deitemos tarde da noite em nossas camas com senso de derrota, com uma lista imensa de coisas pra fazer que não foram executadas. Ah! quantas vezes isso me acometeu!!!

Mas graças a Deus que nos prepara um novo dia, uma nova manhã com forças renovadas e podemos dizer: “Este é o dia que o SENHOR fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele.” Salmos 118.24

Voltemo-nos então para Cristo, para que ele nos capacite a sermos sábias e virtuosas, mulheres que auxiliam seus maridos com humildade, que atendem ao bom andamento de sua casa e que não comem o pão da preguiça (Pv 31:27), mas que ao mesmo tempo amem mais aqueles que estão na casa, do que a casa em si mesma.

A ordenança das nossas prioridades nos ajuda a entender nossa finitude e deficiências. Amar a Deus em primeiro lugar vai nos guiar pelo caminho entrelaçado com trabalho e serviço, dever e prazer, amor ao próximo e idolatria, sendo que estas coisas não são necessariamente contrárias, mas podem entrar em conflito.

Pastor C. J. Mahaney diz: “Só Deus consegue cumprir toda a sua lista de afazeres todos os dias. Não somos Deus. Somos criaturas finitas, com sérias limitações.”

Como é bom saber disto! É libertador e tem que nos levar à humildade de reconhecer nossa fraqueza e dependência de Deus. Tudo o que Deus decretou que você fizesse neste dia, você fará! Nem mais nem menos. O único que cumpriu cada item de sua lista foi Jesus. Nada, nem ninguém ficou para trás. Tarefas cumpridas cabalmente, no tempo certo, do jeito certo, somente Cristo.

você pode gostar também Mais do autor