OBEDIÊNCIA: UMA OFERTA DE HONRA

Artigo

0

A Palavra ensina que nossos dízimos e nossas ofertas mantêm as obras, mas a Bíblia fala também de outras formas de ofertar (abençoando pessoas), que não produzem diferença no caixa e na contabilidade da igreja, mas que são vistas pelo Senhor como uma forma de honrá-Lo: “Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, e Ele lhe pagará o seu benefício” (Pv 19.17). Há ocasiões em que seremos levados a agir com misericórdia e dar esmolas aos necessitados (o conceito da palavra “esmola” em nossa cultura reflete uma “ninharia”, mas o conceito bíblico não é este). Esse dinheiro doado não entrará no caixa, mas Deus o recebe como se houvesse sido dado a Ele. No chamado Sermão da Montanha, Jesus nos ensinou que devemos ter uma atitude de não brigarmos por causa dos bens materiais. Há momentos em que a melhor atitude é abrirmos mão do que temos: “E ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa” (Mt 5.40).

Deus me ensinou isso, de forma muito prática, numa situação em que não gostaria de ter que praticar isso. Tive um carro que apesentou um problema no motor, procurei uma oficina mecânica que, além de retificar o motor do carro, me desse também uma garantia do seu bom funcionamento depois. Infelizmente, não foi o que aconteceu. Após o serviço prestado, o motor do carro fundiu, e o dono da oficina não agiu de forma correta. Ele tirou toda a garantia que havia me prometido. Estava disposto a entrar com um processo na justiça contra ele. Eu tinha tudo para me defender do que considerava uma grande injustiça, mas, ao orar sobre o assunto, Deus me pediu para deixar aquilo por isso mesmo.

Obedeci ao Senhor e coloquei a questão no altar como se fosse uma oferta a Ele. Foi então que Ele me falou fortemente ao coração que, uma vez que eu havia me disposto a honrá-lo, Ele recebia aquele dinheiro como se eu estivesse dando a Ele. Quando deixamos de lado uma causa que é um direito nosso, simplesmente para evitarmos um escândalo ou um mau testemunho, e o fazemos de coração, para que o Senhor seja honrado, mesmo que o dinheiro não vá para o caixa do reino de Deus, o Senhor o recebe como se tivesse sido ofertado a Ele. Isso também é honrar ao Senhor com os nossos bens.

A Bíblia também nos fala de Jó, de quem o diabo roubou todos os bens (Jó 1.12), mas que manteve uma atitude correta diante das perdas. A sua mulher lhe disse para amaldiçoar o seu Deus e morrer, mas ele demonstrou crer que o seu Redentor haveria de mudar a sua condição. E, por fim, não vemos o diabo devolvendo o que havia roubado, e, sim, Deus dando-lhe em dobro tudo o que possuía (Jó 42.10). Acredito que, se mantivermos uma atitude correta diante das perdas e se agirmos corretamente, Deus receberá como honra, a ponto de restituir as perdas causadas.

::Luciano Subirá

você pode gostar também Mais do autor