Discípulos escondem a Palavra de Deus em seus corações

0

“Eu? Memorizar as Escrituras? Mas eu não sou mais criança. Além disso, eu ensino crianças agora. Eu ensino; elas aprendem”. Embora talvez essas não sejam realmente as palavras dos cristãos adultos, mas esses sentimentos podem representar a atitude de muitos. Eles realmente não têm memorizado textos específicos das Escrituras há muitos anos (ou talvez nunca).

No entanto, para um verdadeiro discípulo de Cristo, que realmente quer ser como Cristo, memorizar as Escrituras é uma disciplina vital. Se você memorizava as Escrituras quando criança, provavelmente aprendeu o Salmo 119.11: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti”. O Salmo 119 não é apenas o capítulo mais longo da Bíblia, mas também é marcado por características estilísticas notáveis. O poema hebraico é dividido em vinte e duas estrofes, uma para cada letra do alfabeto hebraico. Cada verso dentro de uma estrofe começa com uma letra específica. Essa estrutura alfabética era um recurso para a memorização.

Não apenas pelo seu comprimento e sua forma literária, esse salmo é digno de nota, mas também pelo seu elevado tema. Do início ao fim, todo versículo é sobre a Palavra de Deus. A estrofe Beth começa: “De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra”. (v. 9). A estrofe termina: “Meditarei nos teus preceitos e às tuas veredas terei respeito.  Terei prazer nos teus decretos; não me esquecerei da tua palavra”. (v. 15,16). A chave para evitar e escapar das armadilhas do inimigo de nossas almas é conhecer a Palavra, meditar na Palavra e lembrar-se dela. Aninhado bem no meio dessas instruções está o mandato bíblico para memorizá-la.

Uma das tarefas sagradas de um pai judeu era familiarizar seu filho com a Torá (Gênesis a Deuteronômio) e enfatizar a importância de memorizar com precisão o que Deus havia dito (Dt 6. 4-7). Assim, a Lei seria recitada aos ouvidos da criança desde seus primeiros dias, e as principais passagens seriam repetidas várias vezes. Como a maioria dos lares era pobre demais para possuir sua própria coleção dos pergaminhos do Antigo Testamento, o cultivo da memória era essencial.

Quem memoriza as Escrituras colherá muitos benefícios. Acima de tudo, é a ajuda das Escrituras para resistir às tentações de Satanás. A resposta de Jesus “Está escrito” a cada uma das tentações do adversário no deserto é a maior ilustração disso (Mt 4.4, 7, 10). Além disso, as Escrituras escritas nas tábuas do coração estão lá para meditação durante todo o dia (Sl 119.97). Ajuda a renovar nossa mente, para que nosso pensamento seja moldado pela Palavra que habita em nosso íntimo (Rm 12.2; 2Co 10.5). A verdade de Deus guardada no coração virá mais rapidamente à mente na tomada de decisões, aconselhamento, testemunho, ensino etc. Quando estivermos cercados por dúvidas e depressão, o estoque da verdade de Deus guardado no coração será uma âncora segura e firme para nossa arca agitada.

Então não espere mais. Comece agora. Escolha um verso (ou passagem). Escreva-a. Rememore-a regularmente. Preste contas disso a alguém. Aprenda a Palavra, não para se vangloriar, mas para que você possa vivê-la e para que Cristo seja visto em você.

você pode gostar também Mais do autor