Discípulos discipulam seus filhos

0

O Senhor designou as famílias para serem lugares únicos para o desenvolvimento dos discípulos. Em Deuteronômio 6.7 os pais têm uma ordem em relação à Palavra de Deus: “Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te”. No Novo Testamento, quando um chefe de família era um discípulo, isso tinha implicações em relação à família (Lc 19.9; 1Co 7.14; 2Tm 1.5). Em Efésios 6. 4, há um mandamento direto para discipular os filhos: “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor”. O Senhor certamente convoca seus discípulos para discipular seus filhos.

Nunca é cedo para começar com rotinas de discipulado. Cante salmos e hinos com os pequeninos e reserve diariamente um tempo para a leitura da Bíblia e a oração em família. Com o tempo, introduza a memorização das escrituras e dos catecismos (Sl 119.9–11). Faça da adoração do Dia do Senhor um deleite e uma prioridade. Fale constantemente da Palavra de Deus, suas obras na criação, suas providência e orações que ele respondeu. Esses hábitos prepararão o cenário para o resto da vida.

À medida que as crianças crescem, o discipulado precisará se entrelaçar ainda mais com a vida cotidiana. O significado de “disciplina” em Efésios 6.4 inclui um estreitamento de opções e o estabelecimento de limites. As crianças precisarão de regras baseadas na Palavra de Deus para aprenderem a obediência e as consequências da desobediência. Esse processo não deve levar a um relacionamento de constantes interrupções, mas a um entendimento crescente de que a disciplina é amorosa (Hb 12.3-11). Procure mostrar-lhes como cada situação pode levar ou à alienação ou à cruz de Cristo e à reconciliação.

À medida que as crianças crescem, as conversas se tornam o aspecto mais importante do discipulado. O Salvador respondeu muitas perguntas de seus discípulos, e os pais também devem se tornar uma fonte primária de respostas. Isso pode ser desafiador, portanto, não tenha medo de responder, pesquisar ou pedir conselhos, mas seja consistente em dar respostas. Faça de sua casa um lugar de discussões religiosas, até de debates saudáveis. Especialmente nesta era da informação, ensine a eles onde encontrar as respostas certas para si mesmos, o que inclui ajudá-los a cultivar relacionamentos com os mais velhos. Quando as perguntas se tornarem difíceis, ore com seus filhos por sabedoria e pelo Espírito Santo (Lc 11.13; Tiago 1.5).

Os lares cristãos podem ser vistos como estufas, onde as crianças crescem como pequenas plantas por um tempo. Elas recebem água e são nutridas pela Palavra, cultivadas e podadas, e até certo ponto protegidas. É seu chamado como pai, ser diligente no discipulado e no abrigo, mas também se encorajar no fato de que o Espírito Santo frequentemente usa famílias santas para nutrir a fé, apesar de nossas falhas inevitáveis. Acima de tudo, dependa da obra de Deus e seja fiel em orar para que o Senhor dê o crescimento.

você pode gostar também Mais do autor