Cristão e Política: qual é o legado que deseja deixar para as próximas gerações?

Artigo

0

Paira sobre nossa sociedade um pensamento extremamente equivocado sobre política e fé. Há uma máxima de que cristãos não estão aptos a opinar sobre determinadas matérias, pelo simples fato de professarem uma fé.

Infelizmente essa inverdade tomou conta de muitos irmãos, que abandonaram a missão de serem luz diante dos homens, reduzindo o Evangelho a questões exclusivamente espirituais.

Na nossa coluna semanal, já apresentamos algumas figuras bíblicas que marcaram a história de Israel por pregarem a justiça de Deus através da política. Hoje, traçaremos um breve e sucinto panorama sobre a influência de cristãos na luta por uma sociedade mais justa.

De acordo com os estudos do historiador Alvim Schimidt¹, desde a época no Império Romano, cristãos foram responsáveis por elaborar leis contra o aborto e infanticídio (375 d.C). Lutaram também contra a pena de marcar criminosos com brasa (315 d. C). Ainda sobre a dignidade da pessoa humana, militaram pela criação de celas específicas para homens e para mulheres (361 d. C). Cristãos também foram responsáveis, em outras localidades do mundo, pela luta contra a pedofilia e contra a poligamia (que nada mais é que defender os direitos da mulher).

No que diz respeito à educação, no século XVI, por exemplo, cristãos contribuíram diretamente com o sistema de escolas públicas na Alemanha. No campo da liberdade, William Wilberfore coordenou o movimento que culminou no fim do comércio de escravos e, por conseguinte, a abolição da escravatura no império britânico, em 1840.

Nos Estados Unidos não foi diferente. Os estudos de Schimidt apontam que dois terços dos abolicionistas eram pastores! Mais adiante, Martin Luther King Jr. também se dedicou à luta contra segregação.

Estes são poucos dos muitos exemplos positivos de cristãos que entenderam o que é ser sal e luz em um mundo corrompido. É elementar que os filhos de Deus compreendam que foram chamados para resplandecer a justiça e o amor de Deus. E a política é uma das formas de exercer este papel.

É tempo de entendermos a grandeza da nossa fé. O nosso Deus é amor e, por isso, não se alegra com a corrupção, com o desprezo ao pobre e com leis injustas. Se nos mantivermos inertes diante de situações como estas, estaremos, de fato, cumprindo a vontade de Deus?

Em Mateus 5.16 diz que a nossa luz deve resplandecer diante dos homens, para que estes vejam nossas boas obras e glorifiquem nosso Pai que está no céu. Isso significa que somos o tempo todo convocados a agir. Se não influenciarmos positivamente a sociedade, como o povo enxergará Cristo e Sua justiça através de nós?

José, Moisés, Neemias, Davi, Daniel e tantos outros deixaram impressos na história a força do “cristianismo” para transformar a realidade. E você, qual é o legado que deseja deixar para as próximas gerações? Qual é a transformação que anseia ver no Brasil?

¹Política segundo a Bíblia. GRUDEM Wayne

você pode gostar também Mais do autor