Autossabotagem: você contra você mesmo

0

Quantas vezes na vida você quis algo conscientemente, mas sem perceber acabou fazendo algo que ia exatamente contra aquilo que queria? Se isso já aconteceu com você, então saiba que você se sabotou. Saiba também que você não é o único. Existe um grande número de pessoas que fazem a mesma coisa.

Pessoas que querem emagrecer, mas continuam comendo; querem parar de fumar, mas continuam fumando; querem fazer atividades físicas e já se matricularam em uma academia inúmeras vezes, mas nunca vão, ou, se vão, fazem isso por um período curto de tempo, uma ou duas semanas talvez.

Claro que existem situações que geram prejuízos bem maiores. Vejamos o exemplo de uma pessoa que se preparou durante anos para ter uma promoção no trabalho, e chega o momento em que parece que tudo que ela planejou se tornará possível. É a sua grande chance. Mas, então, sem nenhum motivo, ela brica com seus superiores e é demitida.

Determinadas pessoas têm o que definimos como uma mente autossabotadora, pois parece que ela sempre está trabalhando contra si mesma e não consegue viver de outra forma, chegando ao ponto de criar doenças físicas para ter um motivo racional para não realizar aquilo que ela sabe ser o melhor ou não chegar ao resultado que tanto esperou e trabalhou para acontecer.

Autossabotagem é o ato ou efeito da consciência agir de modo a:

  • Provocar prejuízos para si, de modo consciente ou inconsciente, com atitudes que dificultam ou impedem seu desenvolvimento evolutivo, de alcançar os seus objetivos, realizar seus sonhos;
  • Repetir comportamentos que você não aprecia ou não prova.

A palavra auto deriva do grego autós, que significa “eu mesmo; por si próprio”. A palavra sabotagem deriva do francês sabotage (1904), que tem o significado de “manobras, ações que têm por objetivo provocar o prejuízo de uma empresa”.

Já parou para pensar que em muitos momentos não precisamos de inimigos, pois nós mesmos fazemos o mal contra nós realizando o trabalho deles?

Até quando você vai lutar contra você mesmo?

você pode gostar também Mais do autor