A Oração como Meio de Graça

0

Os cristãos têm o grande privilégio de se achegarem   ante o trono da graça para conversar com Deus. Essa comunhão entre nós e Deus é chamada de oração. Que os crentes tenham os ouvidos de Deus atentos e sejam convidados a colocarem suas preocupações sobre o Senhor, porque ele cuida deles, é a mais extraordinária das bênçãos. Ainda assim, a oração é uma das disciplinas mais negligenciadas pelos cristãos dos nossos dias. J.C. Ryle uma vez disse: “Sim, poucos oram! É algo assumido como natural, mas raramente praticado; algo que é responsabilidade de todos, mas na realidade quase ninguém pratica. ”  Se esse julgamento pode ser feito em nossos dias também, quais são as consequências de um cristianismo sem oração? Está a missão da igreja sofrendo com a falta de oração em nossos dias? Os cristãos estão sufocados em sua santidade porque poucos estão pedindo a Deus por ajuda na santificação?

Quase que universalmente, as pessoas reclamam de suas vidas ocupadas. As famílias são afastadas de suas mesas de jantar para praticarem esportes, aulas de música e uma variedade de outras atividades. Temos o melhor das mais conveniências modernas e, ainda assim, nós nos desgastamos com nossos “compromissos” intermináveis. A inquietação de nossa época é uma indicação de que prioridades se perderam. Nós gastamos tempo fazendo o que mais valorizamos, mas a oração não está no topo da lista. Contudo, temos tempo para falar abertamente sobre os muitos problemas que nossa sociedade enfrenta. As mídias sociais não querem cristãos que usam o seu tempo para expressar ao mundo suas desilusões com o “estado das coisas. ” Sim, nós estamos vivendo em tempos angustiantes. Da falência moral da sociedade ao declínio espiritual da igreja, os problemas são intermináveis. Todos estão falando, mas quem está levando essas coisas ao Senhor em oração? Se Ryle estava correto em sua fala a um século e meio atrás, o que diremos dos nossos tempos? Pode-se dizer que “quase ninguém” está orando ao nosso Deus de todo livramento?

Em nossa luta contra o pecado, Deus nos convida a vir a ele em oração, e ele nos responde nos dando o seu Espírito, que está ativamente nos santificando.

Este seria um artigo difícil de escrever se não tivéssemos garantia da ajuda do Senhor através do meio da oração. Entretanto, em vários momentos, a Escritura assegura ao crente que Deus ouve a oração de seu povo (e.g., Gn 16.11; Êx 2.24; Sl 4.3). A verdade marcante sobre a oração é que Deus deseja dar a sua graça e o Espírito Santo a nós quando dependemos dele através deste meio. A oração é um meio da graça mediante o qual o Espírito trabalha em nossas vidas. Visto que Deus nos prometeu que teria os ouvidos atentos a nós, a oração deveria estar no topo das prioridades da vida cristã. Um cristão que não ora é um cristão fraco. Por esta razão, todas as gerações necessitam ser desafiadas a fazer da oração uma prioridade em suas vidas.

Chamando todos os cristãos

Quando falamos de meio da graça, é importante fazer uma distinção entre o sentido mais estrito do meio da graça como a que Deus nos dá através de sua Palavra e sacramento e o sentido mais amplo de meio da graça através do nosso ato de orar. Esta distinção é importante para que tenhamos em perspectiva que a oração é a nossa resposta à graça que recebemos por meio da Palavra de Deus. Contudo, isso não diminui o chamado dos cristãos à oração, visto que Deus concede graça àqueles que oram. Quando os discípulos vieram até Jesus e pediram a ele que os ensinasse a orar, Jesus os respondeu dizendo, “Quando vocês orarem…” O Senhor expressou que a oração seria uma disciplina normal na vida cristã. A grande necessidade para os cristãos dos nossos dias é recuperar a convicção e a motivação para orar.

A Escritura nos chama a orar por diversas razões. Em 2 Coríntios 12.7-10, Paulo encorajou os cristãos em Corinto a orar usando sua própria vida como exemplo de sofrimento. Foi dado a Paulo um “espinho” na carne que causou sofrimento em sua vida. Não nos foi dito o que o espinho era, mas Paulo queria que os coríntios pensassem na dependência deles do Senhor. O espinho pode ser qualquer coisa que tire nossa força humana: câncer, conflitos, dor, perda — tudo isso e muito mais. Enquanto Paulo clamou três vezes por libertação, Jesus respondeu dizendo: “A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. ” (v.9). Sim, Paulo recebeu graça do Senhor através da oração. Na sua fraqueza, a graça de Cristo repousou sobre ele e ele recebeu força.

A oração também é um meio de nos conformar à imagem de Cristo e edificar o seu povo como seus servos. A presença contínua do pecado na vida de um crente ataca esse propósito. Por isso a oração é tão necessária para o cristão em sua santificação. Certamente, tem algum leitor neste momento que está desencorajado e lutando profundamente com pecado pessoal. Essa pode ser uma das experiências mais confusas para o cristão. Se o poder da ressurreição de Cristo repousa sobre nós, por que muitas vezes somos derrotados pelo pecado contínuo em nossas vidas? Essa é a luta que Paulo em Romanos 7.

Em Romanos 8, todavia, Paulo nos relembra que cristãos compartilham o privilégio como filhos adotados a clamar, “Aba! Pai! ” Quando fazemos isso, nos é prometido a ajuda do Espírito Santo que (1) mortifica o pecado em nossas vidas (v. 13), (2) “testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. ” (v. 16) e (3) nos ajuda em nossa fraqueza enquanto ele intercede por nós em oração (v. 26-27). Essas maravilhosas promessas são concluídas com uma garantia do propósito predestinador de Deus de nos conformar à imagem de Cristo (v. 29). Esses são auxílios notáveis que o Pai celestial nos dá através da obra do Espírito Santo quando dependemos dele em oração.

Que os benefícios da graça e do Espírito Santo sejam dados a nós através do meio da oração, é a razão que Catecismo de Heidelberg, que divide suas questões de acordo com um cronograma de 52 domingos para orientar os pastores na pregação através do catecismo em um ano, dedica um dia inteiro do Senhor à reflexão para encorajar os cristãos a orar:

Por que a oração é necessária aos cristãos?

R: Porque a oração é a parte principal da gratidão, que Deus requer de nós. Além disto, Deus quer conceder sua graça e seu Espírito Santo somente aos que continuamente lhe pedem e agradecem, de todo o coração. (CH 116)

Em nossa luta contra o pecado, Deus nos convida a vir a ele em oração, e ele nos responde nos dando o seu Espírito Santo, que está ativamente nos santificando. A oração é o caminho crucial através do qual o Senhor opera essa conformidade para que cada vez mais comecemos a parecer com Jesus.

Recuperando a oração Pastoral

Enquanto a oração privada é uma necessidade à vida cristã para a santificação, existe um outro caminho de oração que Deus deu aos cristãos. Jesus falou especificamente sobre a casa de seu Pai como casa de oração. Uma das grandes tragédias do cristianismo americano é a morte da oração pastoral – oração do ministro em nome do povo durante a adoração no dia do Senhor. Por centenas de anos, igrejas protestantes fizeram da oração corporativa um elemento essencial da adoração. Atualmente, a oração foi substituída por mais tempo devotado à música. É dada pouca atenção à oração na adoração corporativa.

Existe algo espiritualmente benéfico para o povo de Deus quando se reúne para o culto corporativo que não é adquirido em lugar algum. O Senhor prometeu se encontrar com o seu povo de uma maneira especial.  Por isso a oração é um elemento importante no culto corporativo. Somente uma leitura pessoal da Bíblia não substitui receber o meio da graça através da Palavra de Deus pregada, a oração pessoal não substitui a benção da oração corporativa do domingo. Quando o ministro ora, ele fala em prol do povo, como um embaixador de Cristo. Com uma só voz, os corações das pessoas estão unidos enquanto suas orações sobem à sala do trono de Deus.

Acho a oração pastoral uma grande bênção. Se Ryle está correto que poucos oram em suas vidas diárias, pense no auxílio que Deus nos dá quando nos reunimos para orar em conjunto. No culto público, nos aquietamos da agitação da nossa vida e nos reunimos em oração enquanto somos guiados por Deus por meio de seu servo ordenado. O pastor nos conduz ao louvor adequado, à confissão de pecados, ao avanço do reino de Deus, na ação de graças pelas bênçãos de Deus e nas necessidades específicas de sua igreja. Deus está pronto para ouvir as orações de seu povo através de seu servo. A oração corporativa é uma das bênçãos mais edificantes da adoração. Se nossas igrejas esperam ter maior eficácia no ministério do evangelho, então haverá um lugar de destaque dado à oração pastoral.

A oração é um dos grandes privilégios que Deus deu aos crentes em Cristo Jesus. A oração é o meio para você se deleitar em Deus, como você foi criado para fazer. Talvez não oramos como deveríamos porque não aprendemos a nos deleitar em Deus em oração, como deveríamos. Converse com o seu Deus; ele deseja que você se deleite nessa comunhão. “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. ” (1 Pe 5.7). O Senhor ouve a sua oração mais certo do que você deseja as coisas pelas quais você pede em oração (CH 129). Que Deus gracioso que se ofereceu a si próprio, por você, no evangelho do seu Filho. Qualquer que seja o seu clamor, qualquer que seja o seu fardo, leve até o Senhor em oração e espere nele, porque ele é o Senhor nosso Deus, que aceita a nossa oração (Sl 6.9).

Devocional Original: Voltemos ao Evangelho.

você pode gostar também Mais do autor