A intercessão de Abraão por Sodoma

Artigo

0

Em Gênesis 18, Abraão recebe a visita de dois anjos e do próprio Senhor em sua tenda. Eles conversam longamente, comem juntos, e, então, caminham na direção das cidades de Sodoma e Gomorra. Essas eram cidades muito cheias de pecado, imoralidades e de muita injustiça social. E Deus revela a Abraão os Seus planos de trazer juízo sobre essas cidades pecadoras: Sodoma e Gomorra seriam destruídas.

Deus nunca traz juízo sem dar uma chance ao condenado ou levantar um intercessor em seu favor. Por isso o Senhor trouxe a Abraão a situação das cidades das campinas do Jordão, escolhidas por seu sobrinho Ló para morar e estabelecer família e descendência com seus moradores. Abraão caminha com o Senhor e fica sabendo que as cidades estão condenadas e serão destruídas. Então, ele intercede diante do Senhor: “Destruirás o justo com o ímpio? Se houver, porventura, cinquenta justos na cidade, destruirás ainda assim e não pouparás o lugar por amor dos cinquenta justos que nela se encontram? Longe de Ti o fazeres tal coisa, matares o justo com o ímpio, como se o justo fosse igual ao ímpio; longe de Ti. Não fará justiça o Juiz de toda a terra?” (Gn 18.23-25). E Deus foi concedendo a petição de Seu amigo Abraão, para que as cidades fossem poupadas se houvesse 50 justos habitando nelas. E a batalha em oração continuou, descendo o número dos justos nas cidades para 45, 40, 30, 20 e finalmente para apenas 10 justos. Abraão se deu por tranquilo com seu pedido, pensando que chegara no número ideal e que certamente impediria a destruição da cidade escolhida por Ló para viver e plantar sua descendência.

Por que Abraão parou de interceder quando chegou em 10 justos? Por que não continuou intercedendo até chegar a um só justo? Abraão fez algumas contas matemáticas mentalmente. Vejamos: Ele sabia que seu sobrinho não era tão bom para influenciar as pessoas ao seu redor quanto a sua fé no Deus Altíssimo, o Deus de Abraão e de seus pais. Mas ele pensou que, pelo menos a família de Ló, os mais próximos dele deveriam adorar o Deus verdadeiro, sendo, portanto, justos. E o resultado de suas contas foi 10; contando, assim, como justos: sua esposa e as duas filhas; os dois genros prometidos em casamento às filhas; as três servas, damas de companhia de sua esposa e de suas filhas (como acontecera à família de Abraão); o mordomo da casa, que deveria ser um homem de confiança (assim como Eliezer, mordomo de Abraão) e o próprio Ló, que era realmente justo e cria no Deus vivo. Entretanto, infelizmente, Ló não tinha a firmeza de seu tio para influenciar o meio em que vivia e testemunhar de sua fé de maneira ousada.

Os dois anjos tomam Ló, as duas filhas e a esposa pelas mãos, arrancando-os literalmente da cidade, e fogo e enxofre caem dos céus sobre Sodoma e Gomorra. A mulher de Ló olha para trás e é transformada numa estátua de sal. Ló vai morar numa caverna com as duas filhas, e Abraão vê a fumaça da destruição subir aos céus. Deus ouviu a oração de Abraão, mas somente pela misericórdia divina é que seu sobrinho foi salvo.

Aprendemos com Abraão a interceder na certeza de que Deus é justo e fiel. Devemos interceder pelos nossos familiares sempre, pelas pessoas com as quais eles convivem, pelas cidades, sabendo que Deus é misericordioso e perdoador, sempre pronto a amar e dar uma nova chance ao pecador. Aprendemos que a justiça de Deus deve ser levada a sério e que certamente o juízo vem sobre os que estão vivendo em orgias, injustiças e total desprezo pelas coisas de Deus e Sua vontade.

Vamos, então, orar agora? Interceda pelas nações e pelos povos que estão vivendo em escuridão espiritual, em trevas de engano e mentiras de falsas religiões que não satisfazem a alma humana e nem trazem a segurança da salvação. Ore pelos muçulmanos, budistas, hinduístas, ateus e praticantes do ocultismo. Que a luz do Evangelho possa brilhar em suas vidas e sejam salvos. Que a cegueira espiritual seja curada, que possam enxergar Cristo e render-se ao Seu senhorio, recebendo o perdão de seus pecados e o selo do Espírito Santo habitando em seus corações. Ore por seus familiares que ainda não conhecem o amor de Deus e a verdadeira vida em Cristo Jesus. Ore por seus vizinhos, parentes, amigos, colegas de trabalho, e até mesmo por desconhecidos pelos quais você passa a cada dia indo para o trabalho ou para a escola. Interceda! Deus ouve nossas orações.

Aprouve ao Senhor realizar Sua vontade na terra por meio das nossas orações. Clame ao Senhor das nações que tenha misericórdia e traga a Sua paz aos povos, o conhecimento de Cristo na terra e o avivamento da fé cristã para Sua Igreja em toda a face da terra. Que tal orar agora?

você pode gostar também Mais do autor